Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bem vindo ao Visão Notícias - 21 de Outubro de 2021 - 02:17

POLÍCIA

Jornalista com medida protetiva acusa ex de agressão

21 de Setembro de 2021 ás 07h 35min, por G1 MT

Uma jornalista, de 30 anos, acusa seu ex-namorado, um motorista de aplicativo, de 27 anos de agressão. O caso aconteceu na manhã desta segunda-feira (20), em um motel, no bairro Jardim Potiguar, em Várzea Grande. Ela já tinha medida protetiva contra o ex-companheiro.

O homem está preso e passará por audiência de custódia nesta terça-feira (21). O g1 buscou ouvir a versão do ex, mas ele está preso e ainda não tem advogado constituído. No ato do boletim de ocorrências ele negou a agressão, disse que se defendeu.

Ela relata que decidiu ir para o motel com o ex-namorado, mas sem compromisso de ficarem. Conta que jantaram e depois o ex teria pedido para ver o telefone dela. Com a negativa, o homem não teria aceitado e desferiu um soco contra a mulher.

A polícia foi acionada para conter a briga.

A polícia civil confirmou a existência do Boletim de Ocorrências contra o motorista de aplicativo.

Medida Protetiva

A jornalista conta que a medida protetiva é por conta da primeira briga que tiveram e o homem quebrou os móveis da jornalista. “Ele nunca havia me agredido fisicamente antes, foi a primeira vez”, disse a mulher.

Ação da polícia

Ao g1, a jornalista reclamou da ação das polícias no caso. Reclama que não foi amparada, mas agredida verbalmente pelos agentes e destacou que vai denunciar o caso à Corregedoria da Polícia Militar.

A polícia foi procurada, disse que não há registro contra os policiais e se colocou à disposição para adoção das medidas legais que o caso requer.

Mais caso

Na sexta (17), uma dentista de 31 anos que denunciou ter sido espancada em um bar ao lado da Arena Pantanal, em Cuiabá, pediu medidas protetivas à polícia contra os suspeitos. Ela relatou que foi agredida pelos seguranças do local a mando do marido dela, um engenheiro, de 37 anos.

Ela também reclamou do comportamentos dos policiais que atenderam a ocorrência, mas não havia relatado o caso à Corregedoria.