Bem vindo ao Visão Notícias - 18 de Novembro de 2017 - 10:12
04/07/2017 - 08:10h
Projeto Educomunicação-Transmídias, da UFMT, é ampliado no Estado
.
Fonte: Assessoria

Potencializar o protagonismo na vivência de ensino-aprendizagem dos alunos do Ensino Fundamental e Médio, por meio do uso de tecnologias, dispositivos móveis e redes sociais, aliado aos saberes tradicionais de cada região. É com esse propósito que o projeto Educomunicação/Transmídias, conduzido pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc), seguirá ampliado de nove para 20 escolas da rede estadual. 

A cerimônia de ampliação do convênio ocorreu nesta quinta-feira (29), na Arena Pantanal, com apresentações culturais dos estudantes da Escola Estadual “Milton da Costa Ferreira”, do município de Jaciara, e do professor Francisco Lopes, da Escola Estadual “Alcebíades Calháo”, de Cuiabá, com apresentação de violino. Antes do evento, 60 estudantes da escola “Benedita Augusta Lemes”, de Jangada, visitaram o Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia (Musear), no Câmpus de Cuiabá. 

O vice-reitor da UFMT, no exercício da reitoria, professor Evandro Soares, reforçou as potencialidades de transformação e quebra de paradigmas. “Em um processo como esse, o ensino-aprendizagem ocorre de maneira transversal e fluida, em que todos os agentes envolvidos caminham lado a lado. Os professores aprendem e ampliam com as tecnologias, e os alunos visualizam possibilidades de serem autores de suas próprias histórias. Com isso, advém o poder para soluções de desafios futuros”, observou. 

O coordenador do projeto, professor Benedito Dielcio Moreira, agradeceu o empenho dos professores e alunos da Faculdade de Comunicação e Artes (FCA), assim como o apoio institucional da UFMT. “Efetivamente, o principal marco deste projeto consiste no aprendizado mútuo. O entusiasmo e a alegria, aliada à integração entre tecnologias e saberes tradicionais, de forma colaborativa e em uma perspectiva transmídia, em que narrativas podem ser contadas por meio de texto, áudio e imagem, em uma construção contínua. Este projeto representa a semente para um passo adiante”, prosseguiu. 

Por sua vez, o diretor da FCA, professor Aclyse de Mattos, enalteceu o aspecto colaborativo e a busca de conhecimento pelos estudantes, tanto das escolas atendidas, quanto do curso de Comunicação Social da UFMT. “A busca constante pelo conhecimento, por meio da vivência prática e em contato com realidades locais, sintetiza o tripé Ensino, Pesquisa e Extensão, em todos os níveis”, apontou. 

Cada um de nós, um Gutemberg: 

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, enalteceu a importância do projeto. “Ao longo da história da humanidade, passamos do papiro à imprensa, da TV, aos computadores e celulares. Com estes dispositivos compactos, cada um de nós se torna um Gutemberg, para escrever e protagonizar narrativas. Os alunos, conscientes dessa potencialidade, e os professores, como agentes de transformação, são atores em um cenário mundial pautado em conhecimento, tecnologia e inovação”, afirmou. 

O secretário de Estado de Educação, Marco Marrafon, narrou a importância da linguagem como criadora de realidades. “Para uma formação cidadã e integral, o governo do Estado apoia iniciativas como esta, tanto na proposição de conceitos e abordagens inovadoras, e melhorias em infraestrutura”, afirmou. 

O professor Francisco Lopes narrou o entusiasmo dos estudantes com o projeto. “A animação foi tanta que os alunos não queriam que as oficinas fossem interrompidas, mesmo em caso de feriados, como a Independência do Brasil. E isso teve um impacto altamente positivo no ambiente escolar”. 

O estudante Mário Augusto Trindade, do oitavo ano do Ensino Fundamental da Escola “Alcebíades Calháo”, contou a sua experiência no projeto. “Com essa vivência colaborativa e interdisciplinar, melhorei muito nas minhas notas, como em Português, que tive sempre dificuldade. Espero que o projeto continue para que mais comunidades sejam atendidas”. 

A professora Vânia Bispo, da Escola “Benedita Augusta Lemes”, de Jangada, avaliou que o projeto proporcionou melhorias em diversos níveis do ensino-aprendizagem. “Com a lida nos equipamentos audiovisuais, os estudantes melhoraram as habilidades de expressão, superando a timidez. Em termos de didática, percebi que posso trabalhar conteúdos de forma dinâmica e prática”. 

Educomunicação: 

O projeto Educomunicação/Transmídias foi iniciado em 2015, abrangendo escolas urbanas e do campo de Cuiabá, Jaciara, Jangada, Várzea Grande, Barão de Melgaço (abrangendo o distrito de Mimoso), Santo Antônio de Leverger, e Campo Verde. Os alunos receberam o certificado de participação. São contemplados três eixos de atuação: “Arte e Tecnologias”, “História e Comunidade” e “Vida e Natureza”. A divulgação das atividades e produções desenvolvidas nas oficinas ocorre por meio da página do projeto, aplicativo para celular e uma enciclopédia virtual, aos moldes da Wikipédia. Os três mecanismos foram desenvolvidos em conjunto com o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT). Na ocasião, as escolas atendidas pelo projeto foram contempladas com um computador com capacidade de armazenamento de imagens e vídeos. 


Cadastro de Opinião
Nome:
E-mail:
Mensagem:
Blog's
© 2017, visão notícias O seu portal de informação